top of page

Sistema de transporte em debate na Câmara

Vereadores tratam do tema durante a sessão ordinária.


Publicado no site da CMS



A situação do sistema de transporte público de Salvador foi o principal tema debatido entre os vereadores, no Pinga-Fogo da sessão ordinária da Câmara Municipal, nesta terça-feira (7). Os trabalhos foram conduzidos pelo presidente da Casa, vereador Carlos Muniz (PTB).

A questão do transporte público foi levantada pelo vereador Téo Senna (PSDB), do bloco governista, que apontou para “o abandono, há dois anos, do VLT do Subúrbio”. Ele comparou o projeto do VLT ao projeto da Ponte Salvador-Itaparica, por “não sair do papel”. Em busca de resposta para a questão do VLT, Téo Senna propôs a criação de uma CEI (Comissão Especial de Investigação). O presidente Carlos Muniz sugeriu ao colega formalizar uma proposta para a Câmara instalar uma CEI para investigar todo o sistema de transporte de Salvador, não apenas o VLT do Subúrbio, ganhando apoio de Joceval Rodrigues (Cidadania).

O vereador Tiago Ferreira (PT) defendeu o governo do estado e lembrou que foi na gestão do PT que o metrô de Salvador virou uma realidade. No passado, em seis anos, construíram seis quilômetros de trilhos do metrô, recordou o parlamentar, que afirmou: “A obra do VLT vai acontecer”.

Líder da bancada de oposição, a vereadora Laina Crisóstomo (PSOL) propôs uma intervenção no sistema de transporte por ônibus. O colega Sílvio Humberto (PSB) afirmou que “há muito tempo queremos debater o modal de transporte e o valor que é cobrado da tarifa”.

Motociclistas

Pela bancada independente, o vereador Alexandre Aleluia (PL) defendeu uma emenda, de sua autoria, para os motociclistas serem inseridos no sistema de transporte por aplicativos. “Defendo a liberdade de trabalhar. Os motociclistas por aplicativos não podem ser vistos como clandestinos. Temos que dar segurança jurídica a esses trabalhadores”, afirmou Aleluia.

Ainda no Pinga-Fogo, a vereadora Marta Rodrigues (PT) pediu mais atenção da Prefeitura em relação aos trabalhadores informais, que estão enfrentando enormes filas para se recadastrar e trabalhar nas festas populares de Salvador. Ele previu "mais sofrimento no recadastramento para o Carnaval”.

Na sequência dos pronunciamentos, o vereador Duda Sanches (União) lamentou a colisão entre dois ferries, causando pânico entre os passageiros. Ele pediu providências para melhorar o sistema de ferries e considerou o modelo “uma vergonha nacional”.

Fonte da notícia: Secom

댓글


bottom of page