Provocação sobre Plano de Mobilidade de Salvador

Atualizado: Nov 6

Enxergamos a necessidade de uma articulação maior e mais robusta para tentar, de fato, influenciar na construção do plano de mobilidade que se aproxima. Por Pablo Florentino (Coletivo Mobicidade)

Prezad@s,

Saúdo a tod@s e peço licença para iniciar este diálogo com objetivo de tentar articular e fortalecer um grupo representativo para debater o Plano de Mobilidade de Salvador, considerando que o consórcio TTC/Oficina realizou a assinatura como vencedora da licitação.

Talvez a maioria de vocês já me conheça, mas faço parte do Coletivo Mobicidade, sendo também professor do IFBA e ex-aluno de doutorado do PPGAU-UFBa.

Enquanto coletivo, temos buscado, desde 2012, promover eventos e ações, além de participar de discussões, debates, audiências e processos de construção social e coletiva que afetam a questão da mobilidade ativa, em especial, a ciclomobilidade, o pedestre e também a sua integração com o transporte coletivo.

Não pretendemos resolver a questão da mobilidade em Salvador através da bicicleta, mas sabemos que precisamos mudar as diretrizes e ideologias à favor do transporte individual e motorizado que vêm povoando as ações do administrativo municipal nos últimos anos e décadas.Temos a certeza de que o transporte público e coletivo pode diminuir a desigualdade social e promover o desenvolvimento, mas carece de muitos investimentos e prioridades em nossa cidade.

Também não pretendemos liderar qualquer movimento, mas consideramos necessário tentar um diálogo coletivo - com grupos, coletivos, instituições, professores e a academia - que agregue ainda mais atores sociais. Por isso, tomei a iniciativa de enviar esta mensagem inicial para membros e professores da:

  • Faculdade de Arquitetura da Ufba

  • Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo

  • IAB-BA

  • CAU-BA

  • Ucsal

  • Curso Superior de Tecnologia em Transporte Terrestre / Departamento de Engenharia de Transportes e Geodésia da Ufba

  • Prefeitura de Campus da Ufba

  • Curso de Geografia da Ufba

  • MP-BA / Hortênsia Pinho

  • Curiar / FAUFBa

  • Fórum A cidade também é nossa

  • Rio Vermelho em Ação

  • Nosso bairro é 2 de Julho

  • Bairro-Escola

Sabemos que a mobilidade é um vetor social de grande relevância para garantir o direito à cidade. No entanto, o desenho urbano que vem se consolidando ao longo de décadas tem, sistematicamente, favorecido a uma minoria com acesso a meios motorizados e excluído a grande maioria. Por isso, enxergamos a necessidade de uma articulação maior e mais robusta para tentar, de fato, influenciar na construção do plano de mobilidade que se aproxima, priorizando a coletividade e maior parte da sociedade - que valorize o ser humano e não os carros.

Não temos estratégias traçadas, mas temos tentado contatos insólitos com a SEMOB. Tivemos conhecimento de que a referida secretaria convidou algumas instituições e grupos para reuniões setoriais. Isso nos faz refletir sobre como será a participação da sociedade neste processo.

Segundo postagem da Semob:

Durante o período de elaboração do plano, estão previstas a realização de três audiências públicas. A primeira deverá ocorrer três meses após a assinatura do contrato, em que será apresentado à população um diagnóstico da mobilidade de Salvador. A segunda audiência ocorrerá no sexto mês e a pauta será sobre as propostas a serem contempladas. A terceira e última deverá ocorrer no sétimo mês, quando se dará a apresentação do Plano de Mobilidade Urbana de Salvador.

Por mais cansados e calejados que estejamos, fica a proposta de um encontro presencial para coletivamente pensarmos em como atuar juntos neste processo.

Em Recife, por exemplo, foi organizada a 1a Conferência Livre de Mobilidade no ano passado.

Coletivamente, podemos propor e decidir sobre data, hora e local. Pode ser que alguma coisa já venha sendo articulada e eu esteja chegando atrasado. Caso sim, pediria para ter mais notícias.

Saudações a tod@s, agradeço imensamente.

Vamos tentando.

pablo

Coletivo Mobicidade Salvador