[Dissertação] Mulher e mobilidade urbana, uma perspectiva de classe

Atualizado: Set 23

ELVIR, Maria Amanda Martinez. Mulher e mobilidade urbana, uma perspectiva de classe: Retratos da mobilidade de mulheres da comunidade do Coque em Recife.


RESUMO:


A segregação social por classe, na mobilidade urbana, tem sido abordada em vários estudos que revelam como as classes populares foram excluídas dos planos de desenvolvimento da mobilidade nas cidades latino-americanas e no nosso caso, em Recife. O governo de esta cidade têm investimentos na ordem de mais de 60% do orçamento estadual na mobilidade do transporte individual e menos de 15% para a mobilidade do transporte público, sistema de deslocamento utilizado pela maioria da população. Há registros que comprovam essa segregação por classe e que causam enormes desigualdades sociais na América Latina. No entanto, são poucos os estudos que demonstram a segregação social por gênero na mobilidade de mulheres da classe trabalhadora na região. Esta pesquisa pretende estudar que construções sociais têm configurado o espaço urbano, a fim de entender a segregação urbana, por classe e por gênero, dos sistemas de mobilidade oferecidos às mulheres que vivem em realidades de pobreza na comunidade do Coque em Recife. Em suma, é uma tentativa de identificar e descrever o processo de exclusão da mulher e de suas necessidades, do planejamento urbano das cidades da América Latina.


Leia aqui: Mulher e mobilidade urbana, uma perspectiva de classe: Retratos da mobilidade de mulheres da comunidade do Coque em Recife