Um ano após paralisação de trens do Subúrbio, Câmara cobra andamento de obras do VLT

Atualizado: 4 de mar.

A audiência cobrou respostas ao governo acerca do andamento da obra, detalhes do contrato firmado, além de soluções.

Publicado no Bahia Econômica

A construção do VLT do Subúrbio foi tema de audiência pública realizada nesta quarta-feira (23) no Centro de Cultura da Câmara Municipal de Salvador. A audiência cobrou respostas ao governo acerca do andamento da obra, detalhes do contrato firmado, além de soluções para o impacto da ausência do sistema ferroviário, interrompido há um ano para a construção do VLT.

A discussão foi promovida pelos vereadores Claudio Tinoco (Democratas) e Orlando Palhinha (Democratas), que assinaram um ofício com pedidos de esclarecimentos ao governo do estado. Um requerimento para realização de nova audiência no dia 9 de março também foi assinada durante a audiência.

Os vereadores Tinoco e Palhinha destacaram a importância de debater o tema na Câmara Municipal de Salvador e discutir os impactos da decisão do governo de retirar a linha férrea do Subúrbio. “A retirada dos trens do Subúrbio impactou diretamente mais de 14 mil pessoas que utilizavam o modal de transporte diariamente. Eles pagavam cinquenta centavos e agora passaram a ter que pagar a taxa de ônibus, de quatro reais e quarenta centavos”, disse Tinoco.

Palhinha destacou a importância de se instalar uma linha de ônibus especial para todos aqueles que não têm condições de pagar a taxa de ônibus. “São pescadores, marisqueiros e tantos outros profissionais que foram impactados diretamente com a retirada dos trens do Subúrbio. O governo não teve um olhar sensível e precisa implantar uma linha especial para essas pessoas que mais precisam”, cobrou Palhinha.