Saída dos ônibus em Salvador é atrasada nesta terça-feira

Rodoviários fazem assembleia para reivindicar aumento salarial e cobras soluções para caso CSN. Por Daniel Brito


Publicado no jornal A Tarde


Pontos da capital amanheceram cheios com a falta de ônibus na capital baiana - Foto: Shirley Stolze | Ag. A TARDE

Quem depende dos ônibus em Salvador enfrenta transtornos na manhã desta terça-feira, 29. Rodoviários atrasaram a saída dos coletivos das garagens na capital baiana para se reunirem em assembleia.

Havia a expectativa de que o movimento fosse finalizado apenas às 8h, como geralmente ocorre, mas a partir das 6h, algumas garagens já estavam liberando os coletivos, a exemplo da G1 da concessionária Plataforma (antiga Praia Grande) e da G3 da OT Trans (antiga Expresso Vitória). Apesar da liberação dos veículos, o que se viu e ainda se vê são diversos pontos de ônibus lotados na cidade.

De acordo com o sindicato dos Rodoviários, as assembleias são relacionadas ao início da campanha salarial dos rodoviários e também cobram a resolução das demandas dos trabalhadores da extinta Concessionária Salvador Norte (CSN) que trabalharam em regime REDA e aguardam a venda dos terrenos para a quitação das suas verbas trabalhistas indenizatórias.

Segundo o presidente do sindicato, Hélio Ferreira, a categoria pede 15% de aumento salarial e 20% de reajuste no ticket alimentação, além de outras demandas, como a realização de apenas uma hora extra por dia caso seja necessário.

Além disso, esta terça marca um ano da caducidade do contrato da Prefeitura com a CSN, ainda sem solução para as homologações dos trabalhadores da extinta concessionária, que aguardam os pagamentos das verbas indenizatórias.

Para tentar minimizar os impactos da paralisação, a Secretaria de Mobilidade de Salvador (Semob) informou que preparou uma operação emergencial, com veículos do Sistema Complementar (STEC) para atender as linhas regulares. O atendimento aos terminais de ônibus foi, segundo a pasta, priorizado, para permitir a integração com o metrô.

Coletivos deixaram garagens às 6h | Foto: Shirley Stolze | Ag. A TARDE