Liberação de verba para BRT em Salvador é assinada

O BRT será implantado da entrada da Estação da Lapa até a estação de Integração Iguatemi. Por Luana Almeida


Publicado no Jornal A Tarde

A partir de 2019, usuários de transporte público de Salvador vão poder locomover-se da Estação da Lapa até o Iguatemi por meio do BRT (bus rapid transit), ou transporte rápido por ônibus.

A liberação dos recursos para implantação da primeira etapa do novo sistema de transporte coletivo de passageiros será assinada pelo prefeito ACM Neto com representantes da Caixa Econômica Federal (CEF), na manhã desta sexta-feira, 16, em solenidade no Palácio Thomé de Souza, Centro Histórico.

Após assinatura dos contratos para a realização do trecho um - do Parque da Cidade ao Iguatemi -, será publicado edital para a licitação das obras, o que está programado para acontecer até o final de outubro.

"Ao todo, serão 28 meses de intervenções para esse primeiro trecho", afirmou o gerente de projetos estratégicos da Casa Civil da prefeitura de Salvador, Roberto Moussallem.

A gestão do projeto, desenvolvido pelo Escritório Prado Valladares, está a cargo da Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob). A parte das obras será conduzida pela Secretaria Municipal de Infraestrutura e Defesa Civil (Sindec).

Projeto

O BRT será implantado da entrada da Estação da Lapa até a estação de Integração Iguatemi, por um corredor formado por viadutos, que passará pela avenida Vasco da Gama e seguirá pela rua do Lucaia, avenidas Juracy Magalhães e Antonio Carlos Magalhães (ACM).

A intenção, de acordo com a assessoria de comunicação da prefeitura, é que o BRT beneficie 31 mil pessoas por hora por meio da melhoria das condições de transporte público e da mobilidade do trânsito em geral.

O projeto, que será financiado pelo governo federal, receberá um total de R$ 820 milhões em recursos. Até o final da intervenção, os repasses serão fracionados, sendo que a primeira parte desse montante soma R$ 408 milhões, disponibilizado por meio de dois contratos com a CEF.

No trecho da Av. Vasco da Gama, o modal passará pelas vias de ônibus convencionais já existentes, que serão adaptadas para receber o novo sistema e suas estações. Nos trechos seguintes - Lucaia, Juracy Magalhães e ACM - serão construídas novas vias exclusivas, erguidas no canteiro central.

"Neste trecho, teremos elevados para poder facilitar acesso às estações", explicou Roberto Moussallem.

Nas estações da Lapa e no Iguatemi, o novo sistema de transporte estará ligado com o sistema metroviário. De acordo com o gerente, ainda não há definição sobre o valor da tarifa.

"O valor será definido, no futuro, pela Secretaria de Mobilidade. Mas haverá total integração de todo o sistema, dos ônibus ao metrô. Ou seja, o valor vai levar em conta a integração", afirmou Moussallem.

Para a implementação do novo sistema, deverão ser realizadas obras de macrodrenagem em toda a extensão das avenidas ACM e Juracy Magalhães. Estão previstas, ainda, modificações no tráfego de veículos das avenidas ACM e Tancredo Neves. Dentro do projeto, serão contempladas, ainda, a construção de ciclovias e ciclofaixas.

Os veículos utilizados pelo BRT serão do tipo ônibus articulados, com portas largas e comprimento máximo de 23 metros. Os ônibus vão operar a uma velocidade comercial de 25 a 40 km/h, com tempos de percurso reduzidos se comparados aos atuais níveis de operação.