Comunidades invisíveis

Atualizado: Nov 9

A invisibilidade das viagens diárias de trabalhadoras domésticas na América Latina. Por Valentina montoya Robledo, Andrés Gonzáles Robledo, Daniel Gómez Restrepo (tradução de Aline Prado)


Publicado em Invisible Commutes

Somos um grupo de pessoas que busca dar visibilidade aos problemas de mobilidade das trabalhadoras domésticas na América Latina. Em troca do trabalho inesgotável que realizam em nossas casas com as quais sustentam nossas sociedades, lançamos o INVISIBLE COMMUTES como um espaço colaborativo para que as histórias de mais de 17 milhões de mulheres da região se tornem visíveis e tenham acesso ao direito à cidade.


Na América Latina, uma em cada quatro mulheres que ganham um salário é empregada doméstica (OIT). Existem cerca de 17 milhões de pessoas que exercem trabalho doméstico remunerado na região, das quais 95% são mulheres. Segundo fontes oficiais e acadêmicas, na Colômbia existem entre 700.000 e 1.000.000 de trabalhadoras domésticas. De acordo com a Pesquisa de Mobilidade de Bogotá 2015, as trabalhadoras domésticas têm as viagens mais longas de todas as ocupações. Em Bogotá podem levar até 6 horas em seus roteiros diários, em Medellín até 4 horas de ida e volta, e em São Paulo até 5 horas.