BYD entrega primeiro lote de 20 ônibus elétricos para governo da Bahia com carroceria Marcopolo

Veículos devem começar a rodar a partir de setembro, tornando a região metropolitana de Salvador a de maior frota de elétricos do país. Por Alexandre Pelegi


Publicado no Diário do Transporte


Em comunicado encaminhado à imprensa especializada, a BYD (Build Your Dreams), gigante chinesa de veículos elétricos, anuncia a entrega de 20 ônibus 100% elétricos da companhia para a região metropolitana de Salvador.


Os 20 ônibus elétricos são do modelo padron D9W (piso baixo) e contam com carroceria Marcopolo.


De acordo com a nota da BYD, a previsão a partir de setembro os veículos entrem em operação, tornando a região metropolitana da capital baiana a com o maior número de ônibus elétricos em circulação no país, à frente de São Paulo (18), São José dos Campos (12), entre outras.

“Este será o primeiro lote de ônibus elétricos da Bahia, que está entre as cinco iniciativas brasileiras que mais avançam na implementação de veículos de energia limpa no transporte público”, diz a empresa.

Para o diretor Institucional e Head da divisão de ônibus da BYD Brasil, Marcello Schneider, a companhia leva vantagem sobre outras montadoras instaladas no Brasil pois aumenta a produção sempre que necessário, já que não depende da compra de peças de outras companhias. “A BYD é fornecedora dela mesma de todos os equipamentos, bateria, trem de força, tudo que é feito para os ônibus é feito de forma vertical pela BYD, ela produz os próprios componentes“, afirma Marcello.

Como mostrou o Diário do Transporte, a BYD venceu a licitação de Salvador em março de 2022 para a fornecer os veículos elétricos, que além de não poluírem são silenciosos, mais econômicos, tem melhor desempenho e menor custo de manutenção quando comparados aos motores a combustão.


LICITAÇÃO


Os veículos elétricos devem ligar o sistema metroviário de Salvador até a cidade de Lauro de Freitas.


As linhas que serão operadas: Ilha de São João/Piatã, via Linha Vermelha e Kartódromo ao Terminal Pirajá, via Linha Azul.


Em certame realizado em 11 de julho de 2022, a empresa Cidade do Sol apresentou o valor exato ao estimado em edital da Agerba (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia Transportes e Comunicações da Bahia).

Com custo quilométrico de R$ 4,5504/km, e produção anual por veículo correspondente a 90.000 km/ano, o valor global do contrato de 24 meses é de R$ 16.381.440,00.

Como mostrou o Diário do Transporte, os veículos elétricos devem ligar o sistema metroviário de Salvador até a cidade de Lauro de Freitas.


As linhas que serão operadas: Ilha de São João/Piatã, via Linha Vermelha e Kartódromo ao Terminal Pirajá, via Linha Azul. Relembre: Agerba publica intenção de licitar duas novas linhas metropolitanas na Bahia


Ainda de acordo com o edital, as tarifas arrecadadas nas viagens, de acordo com o Anel Tarifário a que a linha está vinculada e exclusivamente através de bilhetagem eletrônica, serão integralmente recolhidas através da entidade METROPASSE – Associação Baiana de Transportes Metropolitanos, que as repassará para crédito do Estado da Bahia na compensação tarifária.


A METROPASSE é a entidade autorizada para a emissão, geração, distribuição, comercialização, utilização e resgate de créditos eletrônicos usados na tarifação do Subsistema Metropolitano de Transporte Rodoviário de Passageiros e nas integrações operacionais e tarifárias com outros modais de transporte, em particular o Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas – SMSL.

O certame acabou suspenso após recursos impetrados pelas empresas Plataforma Transporte SPE e Otima Transportes.


No entanto, em 19 de agosto agora, a Agerba conseguiu reverter na Justiça a decisão que até o momento impedia a contratação de empresa para operar e manter 20 ônibus elétricos do sistema de transporte metropolitano de Salvador.

A decisão foi do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), assinada pelo presidente da Corte, desembargador Nilson Castelo Branco.


OS ÔNIBUS

“Estamos entregando o que há de melhor e mais moderno para a Bahia que já tem esse compromisso em melhorar a capacidade e a eficiência do transporte público”, afirma Marcello Von Schneider.

Com viagens com maior conforto, estabilidade e segurança para os passageiros, os benefícios da energia limpa se refletem em uma maior qualidade de vida para a população.


De acordo com a BYD, um ônibus elétrico reduz a emissão em mais de 184 toneladas de gás carbônico na atmosfera, o equivalente ao plantio 1.311 árvores por ano. Um ônibus a diesel comum consome 90 litros de diesel em um dia de operação.

“Com a alta do combustível, os ônibus elétricos à bateria da BYD se tornam ainda mais vantajosos para os operadores de transporte público, que carregam os ônibus durante a madrugada, quando a demanda e o preço da energia são baixos. O operador ainda tem a possibilidade de gerar a própria energia para alimentação dos ônibus e veículos elétricos (seja por meio de energia fotovoltaica ou eólica), totalmente livre da dependência de energia elétrica. O custo mensal para abastecer um ônibus elétrico com energia pode chegar até 6 vezes menos do que um ônibus a diesel”, informa a BYD.

A BYD é responsável pela fabricação da própria bateria de fosfato ferro-lítio-ferro (LiFePO4), totalmente feita na planta da BYD em Manaus. A fábrica tem capacidade para fazer até mil baterias por ano.


“Os ônibus elétricos, com tecnologia limpa são cada vez mais necessários para uma cidade sustentável, com boa qualidade de vida e preservação do meio ambiente. A BYD tem total expertise nesse segmento. São José dos Campos se torna a primeira cidade do Brasil a criar um viário 100% não poluente, pois entendeu a importância de adotar ônibus elétricos como um aliado no combate às emissões de gases poluentes em larga escala. A cidade investe em melhoria na mobilidade, na qualidade do ar e na saúde de seus moradores”, diz Schneider.